Síndrome do Pânico

Eu quero fechar os olhos. Sinto medo. Sinto tanta coisa que tenho vontade de correr ou me esconder. Eu não sei bem o que quero. Só queria me sentir protegido, acolhido, não queria estar passando por isso, mas não tenho controle, sinto isso quase sempre. O meu corpo sente coisas que eu não gosto.

Sinto repentina e inesperadamente crises de ansiedade aguda, marcadas por muito medo e desespero, associadas a sintomas físicos e emocionais aterrorizantes, onde alguns minutos se tornam a eternidade.  Eu sei, o melhor caminho é buscar entender o que está acontecendo. Conversar com alguém que entenda o problema e saiba orientar. Mas, meu coração está disparado.

Eu preciso de ajuda, eu quero ajuda, eu realmente aceito ajuda. Eu quero me superar e transformar esses momentos difíceis em sentimentos bons. É o meu desejo.


As causas exatas da síndrome do pânico são desconhecidas, embora a Ciência acredite que um conjunto de fatores possa desencadear o desenvolvimento deste transtorno, como:

  • Genética;
  • Estresse;
  • Temperamento forte e suscetível ao estresse;
  • Mudanças na forma como o cérebro funciona e reage a determinadas situações.

Alguns estudos indicam que a resposta natural do corpo a situações de perigo esteja diretamente envolvida nas crises de pânico. Apesar disso, ainda não está claro por que esses ataques acontecem em situações nas quais não há qualquer evidência de perigo iminente.